Paquistão: ameaças glaciais no vale de Shimshal

Paquistão: ameaças glaciais no vale de Shimshal

O glaciar Khurdopin é um dos quatro glaciares em risco do vale de Shimshal no Paquistão. O glaciar está cercado por montanhas altas e grandes glaciares, o que o torna uma beleza natural, um destino de escalada muito procurado, e também uma grande ameaça para as comunidades que habitam as suas paisagens serenas. O ambiente é propenso a inundações e avalanches frequentes que ameaçam a mobilidade e a subsistência das suas populações.

 

Com 41 km de largura e quase 2 km de profundidade, o glaciar Khurdopin representa uma ameaça maior do que os glaciares vizinhos devido aos efeitos das alterações climáticas na região. O clima fez com que o glaciar progredisse de forma anormal, o que resultou na criação de um lago temporário que bloqueia o influxo de água do glaciar contíguo. O degelo deste glaciar aumenta ainda mais o risco de inundação nesta zona. As inundações e as obstruções na região impedem que os alimentos e os medicamentos cheguem às aldeias, além de prejudicarem os canais de comunicação para esta zona remota, levando a condições de vida críticas que são uma ameaça para a própria vida.

 

A Agência Aga Khan para o Habitat (AKAH) do Paquistão, em colaboração com o Small Grants and Ambassador’s Fund Program da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), lançou um projeto em 2016 que visava reforçar a resistência da comunidade contra os efeitos dos glaciares no vale de Shimshal.

 

No âmbito deste projeto, os quatro glaciares críticos de Shimshal foram avaliados pelos especialistas e por uma equipa de geólogos. Os habitantes locais foram treinados para vigiar o glaciar em busca de sinais de perigo emergente. Este sistema de monitorização baseado na comunidade e os postos de monitorização do clima podem atuar como sistemas de aviso precoce, alertando as comunidades para as ameaças antes que elas ocorram.

 

Esta consciencialização acerca do seu meio ambiente e as sessões de partilha de conhecimentos proporcionam uma plataforma para a comunidade partilhar as suas experiências com catástrofes naturais, bem como para aprender as técnicas de resposta em emergências através de exercícios práticos de primeiros socorros, evacuação e comunicação em crises, etc. Através do apoio da AKAH, as comunidades também estão equipadas com um stock de emergência que inclui artigos de alimentação e de proteção, assim como algumas ferramentas essenciais para busca e salvamento, de forma a poderem lidar com uma situação de emergência a nível das aldeias.

 

«As sessões de sensibilização e os exercícios de resposta a emergências a nível da comunidade ensinaram-nos acerca dos perigos e dos passos imediatos que temos de dar como socorristas, para que as mulheres e as crianças da nossa aldeia se sintam muito mais seguras do que há alguns anos», diz Zeenat, 39 anos, da aldeia de Shimshal.

 

Através desta iniciativa, a AKAH desenvolveu uma plataforma de partilha de conhecimentos com o Fórum de Redução do Risco de Catástrofes (DRR) em Gilgit, onde estão em estreita interação com as autoridades governamentais para partilhar as situações, e, através destas parcerias, podem resolver questões afins. Mais recentemente, foram usados drones para melhor monitorizar a atividade dos glaciares.